Estado investe R$ 1,1 milhão em projeto do novo Viaduto do Orleans
10/08/2020 - 17:11

O governador Carlos Massa Ratinho Junior e o prefeito de Curitiba, Rafael Greca, assinaram nesta segunda-feira (10) um convênio para contratação do projeto executivo para construir novos acessos onde hoje está localizado o Viaduto do Orleans, em Curitiba. O investimento da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística é de R$ 1,17 milhão, com contrapartida de R$ 61,5 mil do município.

O projeto prevê a construção de dois novos viadutos em alças para fluxo ininterrupto de veículos conectando as duas pistas da BR-277 aos bairros São Braz, Santa Felicidade, Cidade Industrial de Curitiba e Campo Comprido. Os acessos para a Rua Professor João Falarz e a Avenida Vereador Toaldo Túlio no entroncamento com a rodovia federal também serão revitalizados. Segundo a prefeitura de Curitiba, passam pelo local cerca de três mil veículos por hora nos picos de movimento.

“É um projeto complexo. Desde que assumimos o Governo tínhamos esse investimento programado. É uma região que envolve vários bairros, é uma entrada da Capital e também a principal saída para o Interior do Estado”, disse Ratinho Junior. “O projeto engloba uma nova rotatória com várias pistas marginais e vai encerrar o caos urbanístico dessa ligação com os bairros. Curitiba cresceu e o Viaduto do Orleans ficou pequeno”.

O projeto executivo deve ficar pronto em 12 meses e as obras, orçadas em cerca de R$ 30 milhões, também vão levar cerca de um ano. Além das novas estruturas, o viaduto original será transformado em um espaço de convivência para moradores e turistas, espécie de jardim suspenso arborizado para passagem de ciclistas e pedestres. Também será um espaço de observação da histórica Paróquia Santo Antônio de Orleans.

“Esse viaduto está no nosso plano de modernização da infraestrutura do Estado. Essa mesma rodovia (BR-277) recebe duas trincheiras importantes no Jardim Guarany e no bairro Cercadinho. Estamos criando uma artéria bem estruturada conectando os bairros, Curitiba a Campo Largo e também ao Interior, com um sistema muito mais seguro para os motoristas e pedestres”, acrescentou o governador. “É uma necessidade para quem vive nessa região”.

Rafael Greca chama o projeto desenhado pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC) de rotatória elevada estendida. Essa solução com dois novos viadutos em curva permite fluidez do trânsito sem semáforos ou interrupções. “Significa o fim de um gargalo que infelicita a ligação entre os bairros dessa região. É um sonho antigo da cidade. O Governo financia o projeto e com grande alegria tornaremos isso uma realidade”, disse o prefeito. “Uma intervenção dessa magnitude, com dois viadutos e uma grande área de circulação, é complexa. É um grande presente para Curitiba”.

BANCO DE PROJETOS EXECUTIVOS – Os recursos para o projeto executivo, documento que indicará os cálculos técnicos e as informações necessárias para as obras, saíram do Banco de Projetos Executivos. O Governo do Estado destinou em 2019 R$ 350 milhões para investir no planejamento das grandes obras do Estado. Os recursos auxiliam a deixar pronto projetos em todas as áreas para execução imediata conforme a indicação orçamentária.

“O governador idealizou o banco para comportar as obras estruturantes mais importantes do Paraná. São projetos que precisavam sair do papel, mas não havia projetos no Estado. Esse convênio assinado com a prefeitura de Curitiba é necessário para a Capital e ajuda a solucionar um gargalo urbanístico”, afirmou o secretário de Infraestrutura, Sandro Alex. “Temos volume de tráfego e caminhões muito intenso. Esses viadutos vão facilitar a mobilidade das pessoas”.

PRESENÇAS – Estiveram presentes na assinatura o vice-governador Darci Piana; o vice-prefeito de Curitiba, Eduardo Pimentel; o diretor-presidente da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), Gilson Santos; os vereadores Jairo Marcelino, Colpani, Maria Manfron, Beto Moraes, Mauro Inácio, Thiago Ferro e Rogério Campos; e os deputados estaduais Mauro Moraes e Delegado Recalcatti.

Box

Campo Largo ganha duas obras na BR-277

A poucos quilômetros do Viaduto do Orleans também estão em obras duas trincheiras, no Jardim Guarany e na área do bairro Cercadinho. Os investimentos são da CCR Rodonorte, concessionária que administra o trecho, e estão inclusos no acordo de leniência firmado pela empresa com a Justiça Federal. O investimento é de cerca de R$ 40 milhões e as obras devem ficar prontas em 14 meses.

“O objetivo é fazer do Paraná a central logística da América do Sul”, disse Ratinho Junior. “Estamos com grandes investimentos planejados para os próximos anos, como duplicações, terceiras faixas e melhorias em trechos estaduais; a nova concessão do Anel de Integração, com pelo menos 3,8 mil quilômetros de estradas novas; as pontes de Foz do Iguaçu e Guaratuba; a ligação ferroviária do Mato Grosso do Sul até Paranaguá; e as modernizações nos aeroportos. A BR-277 é fundamental nessa ideia porque ela corta o Estado do Litoral ao Oeste. Precisamos dessas intervenções”, afirmou.

O secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, destacou que essas três obras vão melhorar a integração da Capital com a Região Metropolitana e fazer Curitiba ter um novo portal de entrada. “O objetivo é dar mais segurança para moradores e para quem transita na região, que é uma importante ligação dos polos produtivos do Interior com o Porto de Paranaguá. A revitalização da BR-277 e desse acesso aos bairros de Curitiba é fundamental para gerar mais qualidade de vida e mais negócios aos paranaenses”, acrescentou.

Além dessas duas obras, a concessionária vai investir em 30 quilômetros de rodovias na trincheira de acesso à Castrolanda/Socavão, em Castro, na PR-151 com a PR-340; no Trevo de Brotas, em Piraí do Sul, na PR-151; em trechos da Avenida Souza Naves, em Ponta Grossa, na BR-373; no acesso secundário a Ponta Grossa via PR-151; no acesso ao Contorno Leste de Ponta Grossa na BR-376; e duplicações da BR-376 (quilômetros 431 ao 420, 420 ao 412, 412 ao 411,3, 403 ao 399,8 e 399,8 ao 394,5). O investimento global alcança R$ 365 milhões.

Box 2

Estado e prefeitura de Curitiba têm parceria tecnológica para obras

O Governo do Estado e a prefeitura de Curitiba firmaram em 2019 um protocolo de intenção para implantar a metodologia BIM (Modelagem da Informação da Construção) na gestão de obras na Capital. Ela foi disponibiliza ao Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) e deve ser usada para a construção dos viadutos no projeto do Orleans.

A metodologia BIM permite a construção de modelos virtuais da obra, possibilitando o acompanhamento detalhado de empreendimentos viários e edificações, desde o estudo de viabilidade até a execução e fiscalização dos canteiros de obras. Ela garante mais qualidade aos projetos e confiabilidade com relação aos prazos e orçamentos.

Com a metodologia, o modelo de cada obra ou edificação é construído virtualmente, seguindo fielmente o que será aplicado no empreendimento real. As antigas plantas e planilhas dão lugar a um sistema que inclui informações em tempo real, como o planejamento da obra, detalhamento dos materiais, custos quantificados e documentação, o que torna o processo mais transparente e facilita a fiscalização.

No Estado, a inovação já está sendo aplicada em alguns projetos que têm a participação do Governo, como nas obras de duplicação da PR-323 e a modernização do Aeroporto de Ponta Grossa. A ideia é que empreendimentos executados pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR), Paraná Edificações, Paranacidade e pela Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) adotem a metodologia.

Últimas Notícias